Quinta do Medronheiro, Soutulho, 3510-744 São Cipriano, Viseu

Atrativos

Património

Cultura

Festividades

  Arqueologia

  • Cava de Viriato
  • Muralha romana de Viseu
  • Basílica altomedieval de Viseu

 Arquitectura militar

  • Muralhas de Viseu: Porta do Soar e Porta dos Cavaleiros, portas antigas de Viseu

 Arquitectura religiosa

  • Sé de Viseu
  • Igreja da Misericórdia de Viseu
  • Igreja dos Terceiros                                                                              
  • Igreja do Carmo
  • Igreja de Santo António (Viseu)
  • Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Ribeira
  • Igreja de São Miguel do Fetal
  • Igreja do Seminário Maior
  • Capela de Nossa Senhora da Vitória (Viseu)
  • Capela da Via Sacra
  • Capela de Nossa Senhora dos Remédios
  • Capela de São Sebastião

 Arquitectura civil

  • Paço da Torre da rua de D. Duarte (antiga rua da Cadeia)
  • Casa do Miradouro
  • Paço dos Três Escalões – ocupado pelo Museu Grão Vasco
  • Solar dos Condes de Prime – ocupado pelo espaço Internet
  • Solar dos Condes de Treixedo – ocupado pelo Montepio Geral
  • Casa de São Miguel
  • Casa do Rossio
  • Casa de Henrique Felgar na Cava do Viriato
  • Casa do Lago na Quinta da Machada (Cava do Viriato)
  • Solar do Vinho do Dão – Antigo Paço Episcopal
  • Edifício da Câmara Municipal
  • Banco de Portugal
  • Casa da Quinta da Cruz

Cultura

Desde o século XVIII, Viseu passou a dispor de duas feiras: a de todas as primeiras terças-feiras de cada mês, que actualmente se realiza às terças-feiras, todas as semanas; e aFeira Franca, anual, cuja referência se tem durante um inquérito realizado para o Dicionário Geográfico de Luís Cardoso, em 1758, em que um cura da cidade afirma que as produções agrícolas da cidade «não só fazem a terra abundante mas sustentam por mais de doze dias, quatro ou cinco mil pessoas que efectivamente habitam nesta cidade pelo tempo da Feira Franca».

Alguns autores atribuem a criação da feira a D. Sancho I (1188) e a sua legalização por D. João I, mas foi D. Duarte que a transferiu para a Ribeira, mais tarde denominadoCampo de Viriato, e para o dia 21 de Setembro, dia de São Mateus. A feira seria suspendida até ao restabelecimento por D. Afonso V, agora de duração de 15 dias, e com início a20 de Outubro, a decorrer novamente dentro da Cava. Já no reinado de D. Manuel I, a feira é deslocada para o Rossio de Santo António, actual Praça da República e, mais tarde, retransladada para o Campo de Viriato, desta vez a decorrer entre 5 de Outubro e 8 de Setembro. Nos dias de hoje, a feira tornou-se também conhecida por Feira de São Mateus.

   

Museus

 Museu Grão Vasco

As pinturas de Vasco Fernandes e de outros artistas da escola de Viseu, são apreciadas pelo seu naturalismo e pelas paisagens de fundo. O tratamento da luz revela uma influência flamenga. No terceiro piso do museu são exibidas as obras-primas que outrora adornavam um retábulo da catedral.

Casa Museu Almeida Moreira

O museu está instalado na casa que foi residência do capitão Francisco António de Almeida Moreira, a qual, com o recheio constituído por biblioteca e peças várias, pinturas, mobiliário, porcelanas e escultura, doou para museu-biblioteca patente ao público.

   

Outros museus importantes

  • Museu de Arte Sacra na Sé de Viseu
  • Casa da Ribeira – museu do artesanato ** Eco Museu Torredeita
  • Museu Etnográfico de Silgueiros
  • Museu Etnográfico de Vila Chã de Sá ** Solar do Vinho do Dão – museu do vinho
    • Museu do Quartzo – museu do quartzo
    • Museu Municipal de Viseu
    • Museu Etnográfico da Cava de Viriato

 

Salas de espectáculos

    • Teatro Viriato na Avenida Emidio Navarro com 350 lugares
    • Pavilhão Multiusos de Viseu no Campo de Viriato com 2500 lugares
    • Auditório Mirita Casimiro (Cine Clube de Viseu) na Rua Alexandre Lobo com 250 lugares

 

Galerias de Arte

Viseu tem 3 galerias de arte contemporânea e 3 espaços de exposição de arte contemporânea:

  • Galerias:
    • António Henriques
    • 4 Montras
    • Mitóarte – escola e galeria de arte
  • Espaços:
    • Pavilhão Multiusos – exposições temporárias
    • Teatro Viriato – exposições temporárias
    • Auditório Mirita Casimiro – exposições temporárias

Turismo, Festas e Efemérides

Feira de S. Mateus

Feira Franca foi criada por D. Sancho I em 1188 (não tendo esse nome inicialmente havendo documentação a partir de 1392, passando mais tarde no século XVI a chamar-se Feira de S.Mateus. A história diz que a Feira Franca foi uma prenda de D. João I de Portugal, Mestre de Avis, por Viseu ter sido a única cidade portuguesa a estar a seu lado na crise de 1383-1385. A sua ligação a Viseu não acaba aqui, tendo o seu filho D. Duarte nascido aqui e os seus filhos D. Henrique e D. Fernando sido os primeiros duques de Viseu.

Numa área de 18 000 m² estão presentes centenas de expositores e feirantes representando todos os sectores de actividade com relevo para o artesanato. São rejeitados em média 400 expositores por edição de feira, dizendo os feirantes que é a feira mais rentável em Portugal.

   

Semana Académica

A Semana Académica de Viseu, ocorrendo normalmente na segunda quinzena de Maio, arrasta até à cidade milhares de pessoas para participarem nas diversas actividades, quer sejam familiares dos estudantes das diversas instituições de ensino superior, quer meros turistas curiosos. Não tendo uma tradição tão antiga como as suas congéneres de Coimbra, Lisboa, Porto ou Évora, a Academia de Viseu, já com cerca de 11 000 alunos, promove eventos como a Serenata Monumental, o Cortejo Académico, o Encontro de Tunas ou a Bênção das Pastas que se constituíram momentos importantes do calendário cultural da cidade.

  

Cavalhadas de Vildemoinhos

Todos os anos, na manhã de 24 de Junho, dia de São João, a cidade assiste a um cortejo alegórico com dezenas de carros alegóricos, cavaleiros, bandas musicais, majoretes e ranchos folclóricos, atraindo sempre mais de 50 000 visitantes. A festividade remonta a 1652, surgindo como um agradecimento dos moleiros de Vildemoinhos, aldeia então a cerca de 5 km da urbe, hoje bairro citadino, por lhes ter sido reconhecida a razão em tribunal numa querela relativa à utilização das águas do rio Pavia. Os moleiros, em trajes festivos, montavam os seus cavalos e seguiam em romagem até à capela de São João da Carreira, a montante no curso do rio.

Feira à Moda Antiga

Recentemente, outro evento passou a marcar a agenda cultural da cidade e a atrair inúmeros visitantes. Todos os anos, no feriado de 5 de Outubro, por iniciativa do INATEL, recria-se um mercado de venda de produtos tradicionais da região, nomeadamente olarias e tecelagens, ferragens, ferramentas agrícolas, produtos hortícolas, castanhas, enchidos, pão, mel e vinho do Dão, replicando a feira que, nos anos 1920 e 30 do século XX, tinha lugar na Praça de Dom Duarte. Para além disso, assiste-se à actuação de grupos etnográficos e ranchos folclóricos.

Viseu Cidade Natal

Os festejos natalícios enchem as ruas da cidade de cor e turistas. As iluminações e as decorações das rotundas constituem-se como uma imagem de marca viseense. A Aldeia do Natal, em pleno Rossio, atrai os turistas para as barracas de comes e bebes e para os carrosséis. Ao longo de todo o mês de Dezembro, sucedem-se os encontros de cantadores de Janeiras e a animação das ruas da cidade com duendes e Pais Natais. Na última noite do ano, a Noite Encantada leva milhares de pessoas ao recinto da Feira de São Mateus para aí se despedirem do ano velho e darem as boas vindas ao novo, com um espetáculo piro-musical, iluminado com um esplendoroso fogo de artifício emoldurado pela paisagem nocturna do centro histórico e da Sé Catedral.

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close